SsangYong de volta ao mercado

A partir de janeiro de 2018 a marca Sul-coreana volta a atuar no mercado brasileiro com novo parceiro comercial e quatro produtos. Mas, o primeiro passo será resgatar aqueles clientes que ficaram abandonados com a saída em 2015.

A retomada será controlada pela Venko Motors, do Grupo JLJ, que tem larga experiência em implantar marcas asiáticas no país. Dessa vez a montadora terá maior participação nos negócios. O contrato firmado em fevereiro prevê 10 anos para o primeiro período com renovações a cada cinco anos.

Mas, com toda experiência que já possui em implantar marcas o desafio agora é outro. Reconquistar a confiança e, isso, vai demandar tempo e muito trabalho. Ao que tudo indica estão no caminho certo. “O primeiro desafio será atender os proprietários que possuem veículos da marca que foram comercializados nos dois períodos em que a SsangYong atuou no país” afirma Marcelo Fevereiro, diretor de Operações da importadora que completa, “todos os problemas dos nossos clientes serão analisados e na medida do possível resolvidos, inclusive os que tiveram a garantia interrompida poderão ter restabelecidos os prazos”.

Mercado

Segundo o executivo os modelos da marca são Premium e terão preços competitivos para brigar inclusive com os nacionais. Em janeiro, estarão de portas abertas 30 revendas para atender os antigos e futuros clientes mas, esse número devera crescer e chegar a 50 no final do ano. Do total apenas 16 são remanescentes, o restante são novos parceiros e a marca irá priorizar qualidade para os que quiserem entrar no negócio.

A expectativa é vender 3.000 veículos no primeiro ano no Brasil. Hoje, as vendas no mercado sul-americano são de aproximadamente 10.000 unidades por ano e está no Chile o país com maior participação com 70% desse total.

De volta e reestilizada a picape médio Actyon Sports e suv Korando, com motorização Diesel e câmbio de seis marchas e o Tivoli e XLV com propulsores a gasolina, com possibilidade de no futuro próximo utilizarem a tecnologia flex. Todos terão duas versões e garantia de três anos. Da parceria com a Mercedes-Benz ficaram os aprendizados e agora a fabricante tem fábrica própria de motores.

Em novembro próximo novo encontro com a montadora já está marcado e será possível um contato mais próximo com os veículos para uma análise mais adequada dos produtos.

Gilberto Gardesani Filho
São Paulo, SP