• Home
  • Matérias
  • Carros
  • Mobi Drive GSR, no uso prático

Mobi Drive GSR, no uso prático


Com câmbio automatizado, essa versão do Fiat Mobi  avaliada pela Revista Jornauto se encaixa perfeitamente em vários perfis de usuários.
 

Segundo o número de emplacamentos da Fenabrave, o Mobi figura entre os 10 mais vendidos entre todos os modelos de carros de passeio, até outubro, com uma confortável oitava posição, são 44.305 unidades vendidas no período.

Ele foi desenvolvido para transitar em centros urbanos, sendo provavelmente o segundo carro da família, já que seu porta-malas não é o principal atrativo para viagens, mas acomoda bem as compras do supermercado com os seus 235 lts.

Adaptação

Pisar na embreagem inúmeras vezes durante o ir e vir de compromissos nos pesados congestionamentos dos centros urbanos não é uma das atividades mais prazerosas. Por isso, esse câmbio automatizado pode ser a solução.

Esse sistema de mudanças de marchas requer do usuário certo período de adaptação, esse é o segredo, mas nada que uns dias trafegando não deixe o motorista bem a vontade.

Seu componente eletrônico faz com que a marcha certa esteja disponível para uso fazendo a performance melhorar se comparado a versão mecânica, tanto na dirigibilidade como em economia de combustível.

São cinco botões seletores posicionados no local da alavanca de câmbio. A seleção em D, drive ou dirigir, A/M – para optar entre mecânico e manual, R para marcha ré e N que é o famoso ponto morto ou neutro e ainda para uma dirigibilidade onde as trocas ocorrem acima do giro normal  existe a posição S, mas, nessa opção, diga adeus ao baixo consumo, item que a Fiat propaga como o melhor do mercado para a categoria. Aletas atrás do volante dão maior autonomia para o motorista em trocas de marcha tanto no “automático”, como no manual.

Em movimento, as trocas são feitas por meio de embreagem acionada eletronicamente, o que ocasiona um pequeno solavanco. Para manter o baixo consumo e já que o motor ajuda, o câmbio mantém o giro na casa dos 2.000 rotações por minuto.

A função Creeping garante manobras mais seguras, principalmente em rampas, impedindo que o carro desça, ao ou em manobras de estacionamento, basta tirar o pé do freio e ele entra em movimento. Outro ponto a destacar é o Auto-up Shift Abort, que por meio da aceleração percebe que o motorista precisa de uma rápida retomada fazendo a troca de forma diferente do normal, trabalhando em rotações mais elevadas.

Motorização

O propulsor utilizado nessa versão é o Firefly de três cilindros. Ele gera 77 cv e torque de 10,9 kgfm a 3250 rpm quando abastecido a etanol.

Segundo o INMETRO, a 100% gasolina consome 14 km/l na cidade e 15,9 km/l na estrada, já abastecido a etanol sua performance é de 9,8 km/l e 11,1 km/l cidade/estrada, respectivamente.

No painel tem um botão denominado City, quando acionado, ele deixa a direção com assistência elétrica ainda mais leve, facilitando as manobras, e em velocidades maiores desativa automaticamente, trazendo maior firmeza na condução.

Conectividade

Para ter acesso ao sistema de conectividade é necessário instalar no smartphone um aplicativo exclusivo Fiat chamado Live On. Ele possibilita que o usuário tenha acesso, por meio do Bluetooth, a internet, aplicativos de trânsito e de músicas. O aparelho fica acoplado em suporte retrátil e pode ser manuseado pelo volante multifunção ou no próprio aparelho em um menu criado pelo aplicativo. Traz, ainda, o Ecodrive que ajuda o motorista a dirigir de forma mais econômica ou ainda se orientar pelo Onde Parei, muito útil para encontrar o carro no último local estacionado. Quem nunca esqueceu onde estacionou o carro nos enormes estacionamentos dos shoppings da vida?

O Modi Drive GSR tem valor sugerido partindo de R$ 44.780 e pode ser equipado com os 36 itens para personalizar o modelo e deixá-lo ainda mais a sua cara.

Gilberto Gardesani Filho

São Caetano do Sul, SP